Contabilidade é coisa séria

Entenda as diferenças entre a auditoria interna e externa.

POR – DORIVAL VENCIGUERA

Segundo Attie (1992) a função da auditoria interna repousa em atividades detalhadas da empresa relacionada de maneira intensa, como o andamento de cada função, departamento, setor e operação.
Para a auditoria interna, por orientação gerencial da alta administração tem de examinar cada ramificação dos seguimentos em períodos regulares para observação a aderência à legislação e políticas internas e eficiência operacional.
FUNDAMENTAÇÃO
“A auditoria interna, por orientação gerencial da alta administração da empresa, tem que examinar cada ramificação e os seguimentos, em períodos regulares de tempo, para observar a aderência às políticas, à legislação, à eficiência operacional e aos aspectos tradicionais de controle e salvaguarda da empresa, dando maior credibilidade as demonstrações contábeis e assegurar a veracidade das informações”.
Já auditoria externa não elimina a interna, porque permite ao auditor independentemente, evitando trabalho em duplicidade, mas permite a identificação e resolução antecipada de problemas que só são relacionados no último instante.

“A REVISÃO CONTÁBIL É UM PROCEDIMENTO DE AUDITORIA, O QUAL COMPREENDE O EXAME DE DOCUMENTOS, REGISTROS E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS”.

Como resultado a auditoria interna passa a ser uma ferramenta essencial no auxilio à alta administração com informações exatas e nos controles contábeis, financeiros, dando real transparência dos atos dos gestores e administradores; assegurar que todos os procedimentos de controle sejam executados; detectar erros e irregularidades; apurar as responsabilidades; por eventuais omissões na realização das transações da empresa, bem como a omissão de receitas.

ATENÇÃO
Conforme a Resolução do CFC (Conselho Federal de Contabilidade) nº. 774/94 que aprovou o apêndice da Resolução 750/93, deve observar:
1. Princípios fundamentais da contabilidade, ou seja, Princípio da Entidade;
2. Continuidade;
3. Registro pelo valor Original;
4. Atualizações Monetárias;
5. Competência;
6. Prudência.

Para isso os auditores externos assumem, por meio do seu parecer, responsabilidade técnica profissional definida, inclusive de ordem pública, é indispensável que tal documento obedeça às características intrínsecas e extrínsecas estabelecidas nas normas de Auditoria:
A revisão contábil é um procedimento de auditoria, o qual compreende o exame de documentos, registros e demonstrações contábeis. Entretanto, deve ser submetido sob o aspecto técnico e aritmético, a fim de descobrir irregularidades, erros e fraudes, que podem ser feito tanto por funcionários como por administradores e gestores. As novas normas internacionais para auditoria podem ser acessadas no site do Instituto; www.ibracon.com.br.

Dorival Venciguera é Bacharel em Ciências Contábeis, Pós-Graduado em Controladoria e Gestão Empresarial, Auditor e Perito Judicial das Comarcas de Marília, Pompéia e Garça/SP, Professor Especialista do Curso de Pós-Graduação em “Gestão Paroquial” no IFITEG, Goiânia/GO e Diretor de DV – Assessoria Contábil, Marília/SP.
Site: dvassessoria.com – contato: dorival@dvassessoria.com

0 Comentários

Deixe uma resposta