Conduta Profissional

Hoje o profissional contábil precisa ter um comportamento ético íntegro nas suas relações, porque assim contribui de forma benéfica e positiva para com a classe e a vida da empresa.

Por isso, “é importante mensurar que a ética guarda um caráter universal e seus princípios têm como referência última a dignidade humana, o bem comum”.

“O PROFISSIONAL DA CONTABILIDADE, DIANTE DE TANTOS PROBLEMAS APRESENTADOS NO COTIDIANO, PRECISA DE MUITA PERSEVERANÇA, TENACIDADE E HONRADEZ PARA NÃO COMETER ERROS QUE VENHAM DANIFICAR A IMAGEM DE TODA UMA CATEGORIA”.

Hoje, é imprescindível formar profissionais da contabilidade com visão crítica e estratégica, competência teórico-prática, que venham desempenhar suas funções com ética, compromisso profissional e responsabilidade social, voltados para a construção de uma sociedade mais justa e harmoniosa, conduzindo sua formação para a cidadania plena.  Tais valores que este profissional deve ter são: argumentação sólida; participação; conduta ética e moral; dedicação ao conhecimento.

AFINAL, O QUE É ÉTICA?

Para Vasquez (1999: p. 23), ética “é a teoria ou ciência do comportamento moral dos homens em sociedade, ou seja, é a ciência de uma forma específica do compor idéias morais justificadas”. É a teoria, investigativa ou explicação para um tipo de experiência humana ou forma de comportamento dos homens, o da moral, considerado, porém na sua totalidade. Diversidade e veracidade.

POSTURA PROFISSIONAL

Este comportamento ético esperado dos profissionais de contabilidade merece destaque por serem eles guardiões das informações do mundo empresarial, tanto como profissionais liberais, quanto como colaboradores das organizações a que pertencem.

O profissional  da contabilidade, diante de tantos problemas que se apresentam no cotidiano, precisa de muita perseverança, tenacidade e honradez para não cometer erros que venham danificar a imagem de toda uma categoria. A conduta ilibada do profissional de contabilidade é resultado de uma luta permanente contra as mazelas e encruzilhadas em que a vida nos coloca diariamente no mundo dos negócios.

“O Código de Ética Profissional do Administrador é o guia orientador e estimulador de novos comportamentos, e está fundamentado em um conceito de ética direcionado para o desenvolvimento, servindo simultaneamente de estímulo e parâmetro para que o Administrador amplie sua capacidade de pensar. Visualize seu papel e torne sua ação mais eficaz diante da sociedade ou da instituição que administra”.

TRANSPARÊNCIA

A administração deve sempre cultivar o “desejo de informar” sabendo da boa comunicação interna e externa, particularmente quando espontânea,  franca e rápida, resultam um clima de confiança, pois tal comunicação não se deve restringir-se ao desempenho econômico-financeiro, mas deve contemplar também os demais fatores, inclusive intangíveis que norteiam a ação da organização e que conduzem à criação de valor, ou seja, o cumprimento dos compromissos assumidos pela organização.

EQUIDADE

Caracteriza-se pelo tratamento justo e igualitário de todos os grupos minoritários, sejam associados ou demais “partes interessadas”, como beneficiários, colaboradores, clientes, fornecedores, credores, apoiadores e principalmente quando voluntários.

SEIS POSTURAS ÉTICAS

1.    O respeito às leis;
2.    O cuidado autêntico com as coisas públicas;
3.    O auto-respeito do povo;
4.    A seriedade dada às atividades laborais e empresariais;
5.    O tratamento positivo de nossos recursos humanos, em termos de educação e de saúde.
6.    A crença realista em nossas possibilidades como país.

Por Dorival Venciguera
Contador, Pós-Graduado em Controladoria e Gestão Empresarial, Auditor e Perito Judicial e um dos Maiores Especialistas sobre Contabilidade do Terceiro Setor. Oferece conteúdos gratuitos que têm ajudado milhares de pessoas e entidades no Brasil.

Fale Conosco